Manual da Sapatão – parte V

Em Momentos mais Prazeirosos

E agora, que já não era sem tempo, voltemos somente a falar de nós. À pele quentinha e cheirosinha de nossas queridas mulheres, às suas tão desejosas curvas e seus inebriantes olhares – mais do que nunca neste instante. Que tal dar uma apimentada no assunto? Falar de coisas mais interessantes? Se você é uma sapinha, sabe que nada melhor que fazer um bom sabão.

Sabão

Isso aí, o tal do sexo lésbico. O que para nós são momentos de prazer para outros é de algo de difícil compreensão. Não custa nada recordar de alguns detalhes… Pense comigo. Quantos órgãos sexuais tem uma lésbica? Acertou quem disse três. Zonas erógenas temos muitas, no corpo inteiro, variando de mulher para mulher. Mas bolacha que é bolacha tem três. Veja só. Buceta. Confere? Ok, confere. Boca. Confere? Confere. Mãos? Conferem. Pronto. Sapata tem os próprios dedos como objeto sexual e de sedução. Eles são em geral lustrosos, firmes. Têm uma aura diferente. E são, na hora do sexo, de essencial necessidade. Boca, mesma coisa. Lábios, língua. Uma habilidade de lidar com elas de outro mundo. Ainda que não estejam nem beijando uma outra boca. Reparem, observem. Claro que existem outros itens. Os seios, o ânus. Mas eles são mais estimulantes, não são órgãos sexuais.

Lembre-se que encaixando duas aranhas você faz uma coisa maravilhosa entre duas mulheres. O tribadismo. São nossas posições. Se você pegar um kama sutra hétero, vai ver que as posições se repetem, ele é tal qual o lésbico e o gay. O tribadismo é a posição mais autêntica, claro. Tem o sexo oral, que é bem óbvia, o 69. A masturbação na outra, que pode ser recíproca, pode ser enfiando os dedinhos na frente, atrás, e massageando o clitóris tudo ao mesmo tempo. Você pode esfregar seus seios no da sua companheira, pode chupar os dela. Pode lambusar o corpo dela inteiro com seu líquido. Se for o caso, pode-se usar acessórios. Strap-on dildo, apelidado carinhosamente apenas de dildo, que é a cinta com o pênis artificial. O vibrador, ou o consolo, que não vibra. É só usar a imaginação.

A parte legal de ser sapinha neste mundo é que para saciar desejos num lugar público nem é  tão difícil. No box reservado do banheiro feminino, no carro, na boate GLS, e por aí vai. Sendo um cantinho discreto onde ninguém veja, e dê duas pessoas… Se as meninas tiverem coragem… Mais uma aventura a ser vivida, com gostinho de proibido.

Ainda assim, nada melhor do que fazer amor com uma pessoa que você ama.

3 Respostas to “Manual da Sapatão – parte V”

  1. D Says:

    “Você pode esfregar os seus seios nos da sua companheira”.
    O nome disso é FAZER FRENTINHA.
    Quanto a tribadismo, eu nunca tinha ouvido essa palavra antes…interessante… hehehe

  2. bruna Says:

    porra sexo e muito bom e gsotosooooooo

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: