“Aprende que paciência requer muita prática.” (William Shakespeare) [3]

Ai-meu-deus.

Resolvi bancar uma de espertinha no blog dos outros e acabei me cansando. Se bem que a discussão me rendeu bons pensamentos. Fiz pesquisas por um longo tempo na internet e aprendi algumas coisas.

Tudo começou assim. Eu lendo a coluna da Lisa sobre a transexualidade, abri o link que ela deixou lá sobre o assunto. Li, olhei, vasculhei. É um site de uma equipe médica que realiza cirurgias de mudança de sexo aqui no Brasil. Há informações sobre o assunto e relatos de transexuais.

Detalhe: transexual, travesti e homossexual não é a mesma coisa. Bom para se pensar. Tem os assexuais, os bissexuais, os homossexuais, os heterossexuais. Os travestis são os que se comportam e se vestem como em oposição ao seu sexo, e os transexuais rejeitam seu sexo biológico. Tem também os pansexuais (que topam tudo, se você considerar um terceiro sexo os transexuais) e os queer (que não concordam em pertencer a uma classificação e possuem um misto em se tratando de comportamento sexual). E para quem não sabe, a homossexualidade é considerada normal pela OMS, mas o travestismo e o transexualismo são ainda considerados transtornos de personalidade (…).

Mas, ainda insatisfeita, fui procurar mais no Google. Porque eu tinha pesquisado sobre o transexualismo, mas não sobre o travestismo. Digitei, e apareceu um link do WordPress: “http://pt-br.wordpress.com/tag/travestismo” Cliquei lá e não tinha nada de muito interessante. Se achei dentro do WordPress a tag “travestismo”, podia achar a… Apaguei “travestismo” e digitei no endereço do link: “lesbianismo”. Eis que não surgiram blogs lésbicos. Ou não muitos blogs lésbicos, mas alguns posts sobre lesbianismo, temática gay etc. Entre eles, vi lá, e cliquei.

http://www.deuslovult.org/2009/02/17/a-imposicao-da-cultura-gay/

Uma crítica feita a partir de uma visão tradicionalista, cristã-católica, homofóbica. Para se ter idéia, foi denominada nossa ideologia de libertação de “gayzismo”. Ah, respondi ao artigo. Expus minha opinião, que foi rebatida. Uma ou duas vezes. Mas incentivou-me a trilhar uma epopéia. Fui pesquisar para poder responder. E pensar para poder responder. Porque convicção a gente tem. Mas daí a colocar nossas idéias duma forma a poder repassá-las é coisa diversa. Surgiram-me perguntas.

1 – Qual a justificativa científica que podemos dar para que a homossexualidade seja vista como algo da natureza e condizente com a conduta normal humana?

2 – Quais seriam as melhores formas de combater a homofobia e lutar pelo direitos da comunidade gay? A parada gay preserva a sua função de visibilidade, quebra de tabus, e ajustamento à sociedade mesmo? Vale a pena se comportar como se tivesse fazendo algo errado? Como não se beijar em lugares públicos?

Em relação à bíblia até que foi fácil. Tem um blog interessante: Homossexualidade é normal!.

E interpretei meio que assim: “na bíblia há reprovações à homossexualidade, mas também há à proibições de que pessoas com deficiências físicas não se aproximem do “altar de deus”, que as pessoas não se alimentem de frutos do mar, e que homens não cortem seus cabelos de determinadas formas. Isso tudo no mesmo livro, Levítico. É de se duvidar da relevância das afirmações desde livro da Bíblia, afinal, é comum as pessoas comerem camarão, e ninguém reclama“. Foi parte de um comentário meu deixado lá no Deus lo Vult.

Aí depois eu vejo lá o blog homofóbico fazer um comentário sobre um outro blog que acompanho, o Homomento. Foi um post sobre um colunista dum jornal online (Zero Hora, do RS) que resolveu escrever gafes também homofóbicas justamente no dia mundial de combate à homofobia, 17 de maio. Lá vai eu fazer um comentário no Homomento, e enviar um e-mail para o Zero Hora.

Cansou. Me cansou. Nem vou ler mais. É muito esforço (para mudar a opinião dos outros) para nada. Logo eu que acredito tanto em Gooood que está sendado à direita de Nossa Senhora Wikipédia. Vou fazer um post agora só com piadas…

8 Respostas to ““Aprende que paciência requer muita prática.” (William Shakespeare) [3]”

  1. Walter Says:

    Como eu já havia falado antes, eu desafio um cristão católico a usar argumentos que não estejam presentes na Bíblia, ou o nome de Deus, para justificar o porquê de a homossexualidade ser errada, ou seja, argumentos criados por si mesmos e não inseridos em massa por quaisquer veículos de informação.
    Mas, particularmente, não assumo nenhuma briga por direitos gays, sei que é difícil demais mudar a cabeça de pessoas, na minha cabeça os pensamentos estão organizados, então jogar mais piada aí que eu quero é rir!
    bjs.

  2. Walter Says:

    *então joga mais piada aí que eu quero é rir.

  3. Quel Says:

    Srta Bela, vendo pelos os meus pais… é totalmente impossível fazer uma pessoa religiosa entender sobre certos conceitos… diria até… que eles são extremamente limitados!!! para eles… homossexualismo e blá blá blá é considerado doença ou estar possuído…
    isso chega a ser engraçado até…

    confesso que não me importa em andar por aí de mãos dadas…. abraçar… beijar… ou fazer qualquer demonstração de carinho…

    é…
    deixa pra lá…

    beijão…
    se cuida…

    ahhhh hoje eu nem te vi… nem falei com você… =/

  4. guarana Says:

    engraçado isso. crentes são pessoas difíceis. a visão é estreita; a capacidade de abstração, menor ainda. não vale a pena discutir com quem acha q a vida tem manual, sabe. demorou pra que eu entendesse isso. ao meu ver, parece que faz parte da cristandade proclamar a santificação e nunca buscá-la em si prórpio.

    acho que cada um tem um deus sabe. e é melhor que ninguém interfira no de ninguém, assim cabe a todo mundo exigir respeito.

    gostei do seu post, do seu jeito de se expressar : )

  5. Alice Says:

    É impossível mudar a cabeça de pessoas assim, porque os seguidores fervorosos de religiões não são capazes de questionar o que lhes é imposto. Acham que a Bíblia é Manual de Instrução para a Vida, e não aceitam que existam pessoas que simplesmente pensem diferente. Aliás, que simplesmente pensem.

  6. Mallika de Lakme Says:

    Sinceramente, essa coisa de “meus pais são assim mesmo” comigo não cola muito bem. Afinal, a mensagem de Jesus era “amar ao próximo” e perdoar, tentar compreender e tal e coisa. Se até a prostituta ele perdoou, por que haveria de se aborrecer com meu amor sincero?

    Agora, se os fervorosos, antes de tentar entender e aceitar as diferenças, partem do princípio de que estão certíssimos para cagar na minha cabeça uma moral que não me diz respeito, aí eu não posso fazer mais nada além de dizer “meu koo pra vcs!”. E aí, foda-se o papa, fodam-se os pastores, fodam-se os fundamentalistas e todos os filhos loucos da religião.

  7. Marcia Paula Says:

    Adorei seu blog.

  8. Isabela Says:

    Levítico é velho testamento, esse povo lê bíblia e não interpreta o q está escrito. Nem me dou mais ao trabalho de discutir com pessoas ignorantes, me dá preguiça! ¬¬’

    Sou totalmente a favor do post com piadas!

    Bjo moça.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: