Archive for the ‘Manual da Sapatão’ Category

Manual da Sapatão – parte VIII [final]

15/05/2009

Pois é, queridas sapas.  Hora de dar tchau. Na verdade nem tem tanto assunto mais. Só alguns. Um monte de coisas que eu esqueci de colocar. (…!) Por exemplo:

– O melhor amigo gay: acessório de fábrica lésbico. É a coisa mais comum ter um. Serve para te acompanhar pelos guetos, trocar confidências, figurinhas, falar sobre relacionamentos, etc.

– O preconceito das lésbicas com as lésbicas. Tem um coisa no brejo de discriminação… Uma fanshas não compreendem os bofinhos, acham que querem ser homens, ou estão forçando a barram par parecerem, têm preconceito. Outras reprovam casais de mulheres femininas, acham que casal de lésbicas tem que ter mulher-macho e mulher-fêmea, uma femme e uma hombre.  O que nos fala outra coisa…

– Existem casais de lésbicas, sim, de duas mulheres femininas, de duas mulheres masculinas, de uma masculina e uma feminina, de duas mais neutras, de uma neutra e outra feminina, de uma neutra e outra masculina, e por aí vai. Ah, e não tem “tipos” absolutos. Ser humano não vem em embalagem.  É uma pena existir preconceito. Falando de homossexualidade é difícil desconsiderar a diversidade.

Então, falando de outro assunto… Uma coisa que eu nem comentei foi sobre os símbolos lésbicos…

Símbolos lésbicos

– Dois símbolos astrológicos de vênus entrelaçados:  não precisa dizer nada, né?

– O triângulo negro: era usado obrigatoriamente por feministas, prostitutas e lésbicas nos campos de concentração nazistas. Havia o preconceito com as lésbicas na Alemanha nazista por não serem consideradas capazes de procriar, e de terem uma vida social como uma mulher heterossexual. O símbolo representa a luta pelos direitos e contra a discriminação.

– Labrys: desde os anos 70 que este símbolo é usado pelas lésbicas. O labrys é considerado um símbolo de força e de auto-suficiência. Tem um monte de explicação histórica para o machadinho, mas é tanta que é difícil acreditar em uma.

Tem também três coisas que a gente nem falou. Maternidade lésbica, união homoafetiva, e militância lésbica. Mas enfim, é por isso mesmo que o texto é cheio de links bonitinhos. Eles deveriam ser clicados. O blog é muito novo para falar de assuntos muito sérios. De qualquer forma é importante representar nossa comunidade frente à sociedade. Lutar pela nossa liberdade, pelo nosso bem estar e de nossas semelhantes. E nossOs semelhantes.

Existe uma campanha interessante na web pela Não Homofobia. E você pode também ligar para o Senado Federal e registrar sua opinião como sendo favorável à aprovação da lei criminalizando a homofobia, número: 0800 61 22 11 (é de graça e pode ser de celular também), entre as 8 e as 20h nos dias úteis. Eu liguei.

Se resta alguma incerteza… Então tire a dúvida. Se não tem nenhuma dúvida, por que teria, não é mesmo?

Acho que tirei essa imagem dum blog, só não me lembro mais qual...

Anúncios